quarta-feira, 12 de outubro de 2011

O BRINCAR

"Diversos estudos apoiam a convicção de Stuart Brown (Psiquiatra e fundador do Instituto Nacional da Brincadeira, em Carmel Valley, na Califórnia) de que crianças privadas de brincadeiras têm o desenvolvimento social, emocional e cognitivo prejudicado em algum grau."
"Psiquiatras e psicólogos se preocupam que tal limitação possa resultar em uma geração de adultos excessivamente ansiosos, infelizes e socialmente mal ajustados."

 Se pensarmos que o mal do século é o estresse e que na maioria das vezes, ele nos leva à depressão... o texto acima, faz total sentido, não faz?
Isso me leva a pensar em duas coisas:
    
- Primeira: Quanto tempo estamos permitindo que nossas crianças brinquem?

É muito óbvio que as brincadeiras hoje em dia, não sejam as mesmas de antigamente.
Isso se deve a violência, que obriga os pais a deixarem as crianças dentro de casa; a "evolução" dos tempos, que trouxe espaços residenciais menores; joguinhos no computador que "dispensam" a presença de um companheirinho para a interação; e principalmente, porque muitos pais já começam a preparar seus filhos para o mercado de trabalho... mesmo estes filhos estando ainda no jardim de infância.

Pode parecer absurdo para algumas pessoas, mas é muito natural para vários pais, que suas crianças com apenas 5 anos de idade, já tenham uma agenda com inúmeros compromissos. Segundo eles, estão apenas "pensando no melhor para seus filhos e no futuro, pois um dia, eles  terão que disputar um mercado de trabalho extremamente competitivo".
Tenho a acrescentar só uma parte final nesta frase... eles realmente enfrentarão um mercado de trabalho competitivo, mas isso somente ocorrerá, se eles sobreviverem...

Hoje em dia, vejo crianças com a agenda mais cheia do que a minha!! (e olha que isso não é fácil, rs). Elas têm hora para levantar, ir à escola, ir ao curso de idiomas, natação, balé, aulas de etiqueta, xadrez, curso de modelo, tem criança que vai até na manicure... (Meu Deus!), tem a hora do banho, da lição de casa, do jantar, e finalmente o horário de dormir... Elas foram praticamente transformadas em "mini-adultos", que praticam uma "série" de atividades por obrigação e não por prazer.

Claro que eles têm que ter atividades, horários, e regras... mas não podemos nos esquecer de que são "apenas crianças"!


Segundo ponto a se pensar: Nas mãos de quem estamos colocando a educação de nossos filhos? 

Se queremos que sejam futuros adultos carinhosos, compreensivos, e cheios de qualidades (nos nossos sonhos eles são sempre perfeitos) temos que dar esse exemplo para eles, certo?
Chega a ser cômico a mãe que fica horas conversando com o filho, dizendo que ele deve contar tudo o que faz para ela e para o "papai" e na hora que o marido chega em casa, ela pede para criança não contar algo que ela fez...
Quantas vezes nossas atitudes são exatamente o oposto do que falamos?
Vocês sinceramente acham que as crianças vão se basear no que falamos ou no que fazemos?

Muitos pais também acham que a função da "educação" é obrigação da escola e do professor... 
Pobres professores!!! Muitos nem quiseram ter filhos e vão ter que educar o filho alheio?
Sinto muito em decepcioná-los, mas o professor não ganha para isso, educação deve vir de "berço", ou seja, de casa, desde o momento que a criança nasce.
O professor vai apenas complementar o bom exemplo que já deve ter sido iniciado em casa...

Resumindo...
"Dar bons exemplos" e "brincar", ajudam no desenvolvimento intelectual, na criatividade, no desenvolvimento motor, na sociabilização, no desenvolvimento emocional e até a formar traços de personalidade nas nossas crianças.
 
E uma notícia muito boa! Segundo Mac Bekoff (Biólogo Evolucionário da Universidade do Colorado - Boulder - USA) estabelecer um espaço em nossa agenda para praticar o "brincar" também nos ajuda com o nosso desenvolvimento cerebral e psíquico (na saúde mental e física) reduzindo efeito do estresse e riscos de adoecimento.

Surpreenda seus colegas de trabalho, de curso, de escola, sua família, o mundo, com um convite para passar uma tarde brincando.

Mudar hábitos, pode ser mais interessante do que você imagina.

UM FELIZ DIA DAS CRIANÇAS PARA TODOS!!