quarta-feira, 15 de março de 2017

Coach e Psicologia - a mesma coisa?

Já que sou Coach e Psicóloga, resolvi escrever sobre essas duas profissões MARAVILHOSAS, que tanto causam dúvidas.
O que ocorre, é que devido a falta de conhecimento de alguns profissionais, acaba-se difundindo em massa, um conteúdo incorreto.

Bom, vamos começar com algumas perguntas ou afirmações que ouço bastante...

1 – O Psicólogo pode falar que é Coach, sem ter feito o curso?
Resposta: Claro que NÃO!! Aliás nenhum profissional!
Independente da profissão, para ser Coach é necessário o curso; assim como para ser psicólogo, é preciso fazer a graduação de psicologia.
O coach faz um trabalho MARAVILHOSO de planejamento e estuda bastante para isso, aprendendo ferramentas voltadas para esse trabalho.

Infelizmente, ainda não há um órgão que regulamente a profissão do Coach, o que facilita a propagação de profissionais que não são, exatamente o que dizem ser.


2 -  A afirmação: “A psicologia olha o passado e o coach olha o presente” é verdadeira?
Resposta: NÃOOOOOOOOO!!!!!
Essa é a típica frase que demonstra TOTAL desconhecimento de um profissional. Por favor, fujam desses profissionais “papagaios”, que ouvem e repetem conteúdos, sem se dar ao trabalho de estudar. Procurem profissionais atualizados. Vocês estão “pagando” e merecem respeito!
Se eu fiz o curso de coaching, então posso falar sobre isso; não posso ser leviana e falar sobre uma outra profissão que não estudei e portanto desconheço.

A psicologia possui algumas abordagens que olham para o passado, MAS possuem outras que olham para o presente. 
Vou falar sobre a abordagem que eu escolhi, o nome dela é TCC (Teoria Cognitivo-Comportamental). Ela existe desde o final dos anos 60, trabalhando com o olhar voltado para o PRESENTE. 
Se um profissional está falando que a psicologia só olha o passado é porque ele não tem conhecimento do que é essa ciência tão encantadora... fujaaaaa de quem finge ser dono da verdade, mas não sabe o que diz!!!


 3 - O profissional Coach pode tratar ansiedade, angustia, depressão?
Resposta: NÃO DEVE!!!
Fiz o curso de coach há quase 10 anos (faz tempo né?!) e pelo menos nesta época, era deixado MUITO CLARO, que qualquer tipo de problema que envolve SAÚDE, seja ela emocional ou física, deve ser tratado por um profissional da mesma área, ou seja, da saúde.
Para isso temos psiquiatras, neurologistas, nutricionistas, fisioterapeutas, psicólogos, entre outros. Às vezes o tratamento precisa ser feito por 2 profissionais da área, mas isso, será solicitado pelo profissional.

O profissional Coach faz um trabalho excelente, mas não na área da SAÚDE, não estando habilitado para esse tratamento por falta de conhecimento (é por isso que muitos coaches dizem que a psicologia só olha o passado... pura falta de conhecimento)

Para se certificar disso, basta procurar o currículo de um “curso para ser coach”. Não existem matérias ligadas a área da saúde... como bases biológicas, genética, neurociência, psicopatologias, etc, etc, etc ... Como tratar de algo que se desconhece?? Aliás os cursos de formação de coach, não tem duração 6 meses... tempo de menos para um assunto tão relevante como “S A Ú D E”, certo?

  
É sempre bom relembrar, que a falta de ética/caráter existe em qualquer profissão, pois isso, é algo da “pessoa” e não do profissional, portanto, infelizmente podemos cruzar com psicólogos, coaches, professores, advogados, administradores, etc, despreocupados com o bem estar alheio, pensando apenas no lado financeiro; vendendo algo “que ouviram falar, ou que leram em algum artigo, mas que não estudaram mais profundamente”.

Para que isso não ocorra, verificar se o profissional tem “propriedade / formação” para tratar do assunto, é muito importante. Embora eu “ache” que saiba o que um advogado faz, jamais poderia discorrer sobre um assunto ligado a área Jurídica pois meu conhecimento vem do “achismo”, do que ouvi falar, do senso comum, não estudei para isso...

Saúde é um assunto muito sério e em constante mudança de cenário, portanto busquem somente por profissionais certificados na área e de preferência, que se mantenham atualizados. Afinal, quem opta pela área da saúde, NUNCA poderá parar de estudar.


Bjs e espero ter ajudado um pouquinho mais, no conhecimento sobre essas lindas profissões.

quarta-feira, 8 de março de 2017

O sonho impossível?



(Esse filme também pode ser visto no endereço https://www.youtube.com/watch?v=dKSdDQqkmlM)

Gente, esse filme produzido pela ONU Brasil é bem bacana! (O sonho Impossível? - Demora 8 min.)  Uma reflexão para o dia das mulheres ;)


Mostra a evolução dos direitos femininos ao conseguirmos trabalhar fora, mas ao mesmo tempo; a estagnação deles, em ainda “termos” a responsabilidade por todo trabalho de casa e logicamente a criação dos filhos (que ainda, em muitos lares... é uma criação diferenciada por gênero).

Você acha que filhos e filhas, são tratados com os mesmos direitos nos lares brasileiros?
Você é um homem que ajuda nas tarefas domésticas e participa ativamente das decisões sobre a criação de seus filhos?


Bjs a todos e boas reflexões!

sexta-feira, 23 de agosto de 2013

Livro: A menina do Vale - Bel Pesce

Como já comentei em uma postagem anterior,  ganhei esse adorável livro "A menina do Vale - Bel Pesce", e hoje resolvi fazer um comentário a respeito dele.
 
Embora seu foco seja empreendedorismo, me arrisco a dizer que por trás das palavras da Bel, existem muito mais lições do que se possa imaginar... é o empreendedorismo da vida!
 
Tem um capítulo, em especial, que amei... É o capítulo 19 - "O maior de todos os erros".
Transcrevo abaixo, algumas partes:

"O potencial humano é absolutamente incrível. Com paixão, determinação e iniciativa, é possível fazer qualquer sonho acontecer."
 
 
"Ao longo da minha jornada, ouvi centenas de pessoas me dizerem para desistir de vários objetivos. Se eu tivesse seguido suas palavras, teria perdido as melhores oportunidades da minha vida."
 
 
"Eu tenho uma regra simples: contanto que eu tenha tentado o meu melhor; não me arrependo se algo não dá certo."
 
"Digamos que será organizada uma competição de planos de negócios e você realmente quer ganhar o prêmio de melhor empresa. O pior que pode acontecer é não participar. Nesse caso, seguramente você não terá chances de sagrar-se campeão. 
Outra possibilidade é competir, mas sem a dedicação necessária e fazendo tudo de qualquer jeito. É uma pena. Você deve sempre se esforçar para fazer o melhor.
Agora, digamos que você tentou ser o melhor e aprendeu muito ao longo da competição. Para mim, independentemente do resultado, você é um vencedor."
 
 
Ela deixa claro em várias passagens, que acredita sim na realização de sonhos, mas em momento algum, ela cita que isso pode acontecer por "pura magia". Ressalta que embora todos tenhamos capacidades para realizá-los, é necessário iniciativa, determinação, coragem, comprometimento, ou seja, é necessário  mexer-se e correr atrás do que  se deseja.
 
E o que mais gosto neste capítulo,  e concordo plenamente, é da "regra simples": Se você quer algo, faça o seu melhor para conseguir.
 
Se o seu melhor não foi o suficiente, sinta-se com a  consciência leve, pois você tentou e fez o que pôde.
Quando fazemos o melhor, a vitória já é nossa. Podemos não levar o prêmio, mas teremos conosco  a vitória da aprendizagem,  a vitória de ultrapassar os próprios limites, a vitória da entrega, e a principal,  a vitória da evolução! 
 
Não deixe as suas vitórias (mesmo que você não leve o prêmio) passarem em branco. Comemore-as SEMPRE, pois você, mais do que ninguém, sabe o quanto merece e o quanto lutou!!
 
 
 

quinta-feira, 1 de agosto de 2013

Autoestima

Revisando uma apostila de um curso que fiz há alguns anos atrás, encontrei esse texto maravilhoso e que vale a pena ser lido muitas e muitas vezes.



 Uma Lenda...

 
Numa época bem distante, todos os homens da Terra eram deuses e tinham poderes.

Mas os homens pecaram e abusaram tanto destes poderes, que o Senhor, o deus de todos os deuses, decidiu que todos os poderes seriam retirados dos homens e escondidos num lugar onde jamais fossem encontrados.


Um dos deuses disse: "Então vamos enterrá-los profundamente na terra”.
E o Senhor disse: “O homem pode escavar a terra e encontrá-los”.
 
Outro deus disse: “Então vamos jogá-los no oceano mais profundo”.
E o Senhor não concordou: “Não, o homem aprenderá a mergulhar e um dia vai encontrá-los.”


Um terceiro deus sugeriu: “Porque não escondê-los na montanha mais alta?”
O Senhor então disse: “Não, pois o homem poderá escalá-la...”
 
Tenho um lugar melhor. Vamos escondê-los no interior do próprio homem. Ele nunca vai pensar em procurá-los em si próprio”.
  

Um ótimo final de semana a todos!
 







 

 



terça-feira, 25 de junho de 2013

A menina do Vale - de Bel Pesce

Ganhei de uma amiga muito especial o livro: "A menina do Vale - Como o empreendedorismo pode mudar sua vida", da autora Bel Pesce.
Após uma leitura muitíssimo agradável, fiquei curiosa para saber um pouco mais sobre autora, e fui dar uma "olhadinha" na história de vida dessa "menina-mulher".
 Vi apenas "um" vídeo em que ela vai ao Colégio Etapa, e conta parte de sua trajetória. E apenas esse vídeo, foi suficiente para entender porque ela está fazendo tanto sucesso.
 
Em primeiro lugar, ela realmente acredita que os sonhos podem se transformar em realidade, e em vez de ficar parada esperando que a realização caia "do céu", ela corre atrás do que quer, com dedicação e sabedoria.
 
Em segundo lugar, ela tem autoestima, ou seja, ela sabe que ela tem defeitos (assim como todos nós temos), mas ela prefere olhar e valorizar as suas qualidades, algo que não temos feito... aliás, se temos um grande inimigo para nos criticar, esse inimigo está dentro de nós! Ninguém sabe nos ferir "tão bem", quanto nós mesmos. 

Em terceiro lugar, o seu pensamento positivo e confiança (algo difícil de encontrar nas pessoas hoje em dia)  é responsável por fazer com que ela siga em frente vendo possibilidades e não derrotas!!
Se alguém vê impossibilidades no caminho, ela segue vendo chances e aprendizagens... e o melhor de tudo, ela não se deixar abater pela opinião alheia, pois ela confia no que pode fazer.

Em quarto lugar, e para mim o mais importante, ela é super humilde!  Ela não tem medo de assumir que não sabe, não tem medo de não ser "perfeita", e não procura ser o "modelo ideal" de pessoa. As qualidades que ela tem (e ela sabe que tem) não a transformaram em um modelo de arrogância. Essas qualidades, foram utilizadas (e muito bem utilizadas)  para que ela  transformasse sonhos em realidade.

Simples assim!

Existem vários vídeos dela no "Youtube", e imagino que valham a pena a visita... Segue o endereço do vídeo que vi, e me encantei!
http://www.youtube.com/watch?v=_dSoo7p8BfQ
 
 

domingo, 14 de abril de 2013

ESCOLHA PROFISSIONAL

A adolescência é um período de várias mudanças e justamente nesse período de transição o jovem terá que tomar a decisão da sua escolha profissional, algo que marcará sua vida futura.



Não é nada fácil se deparar com a escolha da profissão, ainda mais ao perceber que ela também representa a escolha por um estilo de vida, uma rotina e um ambiente no qual terá que conviver em seu futuro; ou seja, escolher uma carreira não significa apenas escolher o que se quer fazer, mas sim , o que se quer ser.

Esse é um tema que por mais que venha sendo comentado ao longo dos anos, ainda gera um grande nível de ansiedade, tanto para o adolescente, quanto para sua família, que participa de alguma maneira nessa decisão. 
É por isso que hoje, decidi falar um pouquinho mais sobre esse assunto.

 
A influência familiar

Quando um indivíduo nasce, ele já carrega uma série de expectativas de sua família. Todos já imaginam o que ele vai ser, e como vai ser. O indivíduo cresce ouvindo o que seus familiares consideram “bom” e “ruim”, e o que eles esperam em relação ao seu comportamento, atitude e escolhas.

Além de ser cercado por uma série de expectativas ele também e cercado por uma série de valores familiares, os quais ele só poderá considerar bons ou ruins, com a maturidade.

A escolha do adolescente pode estar baseada numa ideologia familiar, e segui-la pode resultar em um sentimento de “lealdade” a sua família; mas também pode estar baseada no confronto dessa ideologia, para mostrar sua rebeldia ou desaprovação com os seus.

Em ambos os casos, o indivíduo não estará sendo justo consigo mesmo, pois não estará valorizando os seus desejos e sim desejos alheios ou utilizará sua atitude para ferir e mostrar que discorda da opinião familiar.

Muitas vezes, com o intuito de auxiliar, os pais constroem projetos que refletem seus desejos (realizados ou não), e acabam projetando suas frustrações ou realizações em seus filhos.

A ansiedade dos pais também contribui para o aumento da ansiedade dos filhos, por isso durante um processo de orientação vocacional, muitas vezes, é indicada a participação dos pais para melhor compreensão e auxílio, desse processo que faz parte da vida de todo jovem. A ausência familiar durante esse processo, pode representar para o jovem, certo desamparo e reforçar a insegurança, que é normal nessa tomada de decisão.

 
Orientação Profissional

                O objetivo da orientação profissional é auxiliar o jovem, proporcionado um momento de reflexão sobre o que está por trás de sua escolha e das suas indecisões.

Ajudá-lo a reconhecer as influências familiares, escolares, do meio social e econômico, religiosas e de questões psicológicas, tornará o processo muito mais claro.

A exploração deste contexto com o trabalho em parceria (orientador -  adolescente), irá gerar o esclarecimento, que trará a diminuição da ansiedade e maior segurança na tomada de decisão.

 
O trabalho do orientador

O objetivo do orientador é entender os valores que cercam esse jovem; ou seja, que tipo de vida ele pretende ter e o que é importante para ele. Não adianta o jovem correr atrás de uma profissão que vá mantê-lo preso a uma rotina dentro de um escritório, se o que ele mais valoriza na vida, é o contato com o público ao ar livre.

Outro ponto que deve ser levado em consideração, é sua visão a respeito do mundo e de si próprio.

Outro ponto fundamental é o confronto das informações que esse jovem apresenta das profissões, com a realidade destas. Muitas vezes, as fantasias desse jovem tem um peso superior, porém fictício, e a realidade se mostra bem diferente.
 

Exercícios Propostos

Para essa orientação, vários tipos de exercícios são propostos pelo orientador, mas somente serão colocados em prática, com a aceitação do indivíduo, que deve ver sentido nas atividades.

O jovem poderá ter que frequentar palestras, fazer visitas a empresas, entrevistas com profissionais que escolheram o que ele almeja; como também poderá ser proposto, que ele realize um estudo de mercado em relação ao salário mínimo, médio e máximo do profissional, para ver se está dentro da suas expectativas futuras.

Terá que refletir sobre aonde deseja chegar com a profissão escolhida e para isso, qual o tipo de formação e quais as especializações ele terá que fazer. Quanto tempo ele terá que se dedicar aos estudos, e o que terá que abrir mão em busca da concretização de seus objetivos.

Terá que pensar no tempo que levará para sua formação e avaliar se o mercado estará aberto ao que ele terá a oferecer.

Deverá formar uma visão ampla do que quer e dos passos para conseguir atingir seu objetivo, mas isso será trabalhado em parceria com seu orientador e também com sua família.
 

Conclusão

Diferente de algumas posições dentro da psicologia, acredito como Erikson, que a construção do “Eu”, ou seja, a construção da personalidade do indivíduo, não apresente nunca um ponto final.

Para mim essa construção representa um desenvolvimento que vai ocorrendo ao longo de sua vida conforme suas aprendizagens, que representam a interação do indivíduo com o ambiente em que está inserido (Este conceito também é conhecido como “Life-span”).
    
Portanto, mesmo que sua decisão o leve para um caminho que ele se arrependa no futuro, sempre há, através do planejamento, uma maneira do indivíduo repensar no que é importante para ele naquele momento e tomar novos caminhos em busca da sua satisfação pessoal.


domingo, 5 de agosto de 2012

MAL ENTENDIDO DEVIDO A DIVERGENCIA DE OPINIÕES

Resolvi escrever hoje sobre a “TOLERÂNCIA”, algo que sinto que está escapando através das nossas mãos, com muita facilidade!

Ser tolerante não significa ter que concordar com uma opinião divergente da nossa. Ser tolerante significa “respeitar” modos diferentes de pensar e agir.

 Cada um traz consigo, o “seu” modo de se apresentar, de falar, de raciocinar; e isto é único.

Essa bagagem formada de acordo com o que foi aprendido e com os valores e crenças que cada indivíduo possui, vai se solidificando ao longo da vida, por isso, é impossível querer que alguém pense ou aja como nós... são experiências de vida diferentes, o que foi passado como “fundamental” dentro de uma determinada família, pode ser considerado “banal” em outra. Uma experiência na infância que fez tão mal para uma criança, pode ter sido vivenciada sem a menor importância para outra.

Não adianta discutir, gritar ou se emburrar, porque seus motivos “óbvios” não são compreendidos. Mesmo porque, de repente, eles são “óbvios” apenas para você!

 Ser tolerante, também é saber se abrir para o diferente!

Controlar seus sentimentos, ver as situações com novos olhos e ouvir uma frase que lhe fez mal, através de novos significados; vai fazer bem, principalmente para você!

O coach e a neurolinguística, ajudam as pessoas a controlarem suas ações e conseguirem mudar aqueles comportamentos repetitivos, que as fazem sofrer. 

Desta forma, uma dica utilizada nas terapias breves, é encontrar dentro de si, respostas comportamentais diferentes e mais eficientes. Só assim, você compreenderá que a “TOLERANCIA” está ao lado do respeito, e muito acima da verdade, pois esta... se mantém em constante mutação e varia de indivíduo para indivíduo. Aquele que nunca mudou de opinião é porque parou de aprender!

“Eu não me envergonho de corrigir os meus erros e mudar de opinião, porque não me envergonho de raciocinar e aprender”. Alexandre Herculano

domingo, 25 de março de 2012

O QUE VOCÊ VEM VALORIZANDO?

O texto abaixo é  válido para uma grande e gostosa reflexão.
Tenho certeza que todos entenderão da maneira que deveriam, por isso, este vai sem comentários... na verdade, vocês verão que não há necessidade de comentários, pois ele já diz tudo! 
Boa Leitura!!


Conta-se que no século passado, um turista americano foi à cidade do Cairo, no Egito, com o objetivo de visitar um famoso sábio.


O turista ficou surpreso ao ver que o sábio morava num quartinho muito simples e cheio de livros. As únicas peças de mobília eram uma cama, uma mesa e um banco.


- 'Onde estão seus móveis?' - perguntou o turista.
E o sábio, bem depressa, perguntou também:
- 'E onde estão os seus…?'
- 'Os meus?!' - surpreendeu-se o turista - 'Mas eu estou aqui só de passagem!'
- 'Eu também… ' - concluiu o sábio.

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

CORRENDO EM CÍRCULOS

No texto passado “Para refletir... Marcas de batom no banheiro”, falei de 2 pontos a serem observados, e um deles (o que vou comentar abaixo) é a respeito de mudanças.


Você já percebeu que existem diversas situações na sua vida que se repetem?

É como se “tivéssemos” que aprender algo com uma determinada situação, e de “castigo” por não termos aprendido, tudo aquilo se repetisse!

Muitas pessoas sentem como se estivessem correndo em círculos, onde o final fosse exatamente o mesmo local de onde partiram.


Além de cansadas desta longa corrida, surgem nestas pessoas também, uma sensação de vazio e um “nó na garganta” devido ao novo fracasso.


 Muitas até se perguntam: “Por que não deu certo de novo, se desta vez eu coloquei todas as minhas energias, perfeccionismo, etc, etc, etc?”


Gostaria que vocês pensassem na seguinte situação:

 Eu sempre faço bolo de laranja e hoje me deu vontade de comer bolo de chocolate... Se eu pegar todos os ingredientes necessários para fazer um bolo de laranja e colocar “toda minha energia, toda minha dedicação, todo meu perfeccionismo” quando estiver fazendo o bolo, ele sairá com gosto de chocolate?


Pois é... não adianta você colocar toda a sua energia na mesma “fórmula” que não deu certo, faça como o diretor do texto passado... MUDE em primeiro lugar, as suas atitudes!

Um beijo e que as mudanças venham de dentro para fora!


quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

PARA REFLETIR...

" Marcas de batom no banheiro...



Numa escola pública estava ocorrendo uma situação inusitada: meninas de 12 anos que usavam batom, todos os dias beijavam o espelho para remover o excesso dele. O diretor andava bastante aborrecido, porque o zelador tinha um trabalho enorme para limpar o espelho ao final do dia. Mas como sempre, na tarde seguinte, lá estavam as
mesmas marcas de batom...
Um dia o diretor juntou o bando de meninas no banheiro e explicou pacientemente que era muito complicado limpar o espelho com todas aquelas marcas que elas faziam. Fez uma palestra de uma hora, mas no dia seguinte, as marcas de batom no banheiro reapareceram...
Após muito pensar, o diretor juntou o bando de meninas novamente no banheiro, e pediu ao zelador para demonstrar a dificuldade do trabalho.
O zelador imediatamente pegou um pano, molhou no vaso sanitário e passou no espelho...
Nunca mais apareceram as marcas de batom!
Comunicar é sempre um desafio! Por isso, muitas vezes, precisamos usar métodos diferentes para alcançar certos resultados."


Achei esse texto tão engraçado e ao mesmo tempo tão interessante que não resisti em colocá-lo... Dois pontos muito bons para serem pensados:
- Comunicar, realmente é sempre um desafio. Quantas vezes falamos "A" e o ouvinte entende "B, C, D e E"? Por que será que isso acontece?
- Você já percebeu que muitas situações se repetem em nossas vidas?  Se algo não da certo, você também utiliza a estratégia do diretor; ou seja, MUDA a forma de ação e não persiste no que está dando errado, ou tem optado por continuar agindo sempre da mesma maneira?

Um grande beijo e boa reflexão! 

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

ANO NOVO

Por que será que a maioria das pessoas adora fazer planos para o novo ano?


Na minha opinião, essa é uma época excelente, porque a vibração positiva da “massa” e a esperança coletiva, acaba dando mais vida aos nossos desejos e muito mais brilho aos nossos olhos! 

Sem falar que esses “infinitos desejos” são de vários tipos... alguns são simples, outros quase impossíveis (eu disse quase), outros há tempos estamos postergando, outros acabamos de formular, e por aí vai... mas todos eles seguem, com gosto único de se transformarem em realidade.

Então... de asas a imaginação! Tire um dia somente para pensar no que falta para tornar seus desejos em realidade. Separe-os em categorias... “fáceis”, “trabalhosos” e “difíceis”. Estabeleça data para concretização de cada um deles e depois pense quem ou no que, poderá te ajudar a alcançá-los. Às vezes a ajuda está “ao nosso lado” e estamos “dando de costas” para ela!


 Anote todos os passos que você terá que dar, assim ficará mais simples de acompanhar seu desenvolvimento. E o principal... busque tudo o que você vai ganhar e principalmente “o que vai perder” se atingir seu objetivo.

Lembre-se: nosso “organismo” é inteligente demais para nos deixar atingir algo, que ele acredita que possa nos prejudicar de alguma maneira.

Elimine as “brechas” em seus planos e tenha coragem de atingir seus sonhos, mesmo porque, te garanto que novos “desejos” sempre virão!


Um bom início de ano a todos, repleto de desejos muito bem planejados!!

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

REFLEXÃO

Às vezes é necessário dar uma "parada" para avaliar como anda nossa vida...  Eu sei que para muitas pessoas, "parar" é perda de tempo... porque tudo vai no embalo, no "deixa a vida me levar"...
O problema é que às vezes, a vida realmente "nos leva"... e para caminhos que não gostaríamos de seguir.
Claro que sempre é tempo para mudar, mas é muito melhor, estar preparado e se planejar para as mudanças, do que sofrer resistindo a elas.
Esses momentos de reflexão, de mudança e muitas vezes de sofrimento, são momentos naturais e necessários para o nosso desenvolvimento!

Por isso, convido a todos, a "darem uma pausa e lerem" essa linda poesia de Fernando Pessoa e reavaliarem "como anda a vida de vocês".

Reflitam sobre essas poucas perguntas e se questionem mais, para se conhecerem melhor.
"Estou feliz com tudo o que conquistei?", "Eu sei exatamente o que quero conquistar?", "Está na hora de voltar e recomeçar?", "Quais serão meus próximos passos?", "Quais as pessoas que me fazem falta?", "O que deixei para trás que quero resgatar?".

Essas, são algumas perguntas que usamos durante um processo de coaching e o objetivo como já disse antes, é o auto-conhecimento e entender melhor não só quem você é, como também, o que você busca e em que momento você se encontra.
Boa leitura!!

"Sonhe com as
estrelas, apenas sonhe,
elas só podem brilhar no céu.



Não tente deter o vento,
ele precisa correr por toda a parte.

As lágrimas?
Não as seque,
elas precisam correr na minha,
na sua, em todas as faces.


O sorriso!
Esse, você deve segurar,
não o deixe ir embora, agarre-o!

Persiga um sonho,
mas, não o deixe viver sozinho.

Alimente a sua alma com amor,
cure as suas feridas com carinho.

Descubra-se todos os dias,
deixe-se levar pelas vontades,
mas, não enlouqueça por elas.

Abasteça seu coração de fé,
não a perca nunca.
Alague seu coração de esperanças,
mas, não deixe que ele se afogue nelas.

Se achar que precisa voltar, volte!
Se perceber que precisa seguir, siga!
Se estiver tudo errado, comece novamente.
Se estiver tudo certo, continue

Se sentir saudades, mate-as.
Se perder um amor, não se perca!
Se o achar, segure-o!

Circunde-se de rosas, ame, beba e cale.
O mais é nada"



quinta-feira, 27 de outubro de 2011

EMAGRECIMENTO – DIA NACIONAL DE CONTROLE À OBESIDADE!

Hoje é dia 27 de outubro, um dia que merece toda nossa atenção, pois é o DIA NACIONAL DE CONTROLE À OBESIDADE.

A obesidade não é um problema ligado a estética, é um problema ligado a saúde!
  
Sabemos que as pessoas obesas sofrem com grandes dores por “sobrecarregarem” sua coluna, sem falar que acabam tendo uma diminuição em seus movimentos, que lhes pode causar uma contaminação por fungos e outras infecções de pele em suas dobrinhas de gordura.
   
Elas também apresentam uma maior probabilidade, em sofrerem com algumas doenças e distúrbios como Hipertensão Arterial (pressão alta), Doenças Cardiovasculares, Diabetes Mellitus tipo II, Osteoartrite, Diminuição do Colesterol Bom, Apnéia do Sono, Colelitíase, entre outras.
    
Estudos feitos por pesquisadores do Diabetes and Obesity Center (Universidade de Washington), também constataram que uma dieta rica em “gordura” pode lesar os neurônios.
    
Depois de lermos tudo isso, acho realmente muito triste pensar que os Hospitais dos EUA, estão tendo que adaptar seus veículos de resgate para transportar pacientes com mais de “200 quilos”.
    
Em vez de tentar corrigir os problemas, que tal investirmos, para evitá-los?? O pior ainda, é saber que uma rede chamada Cold Stone, criou um Milk-shake com 2010 calorias... Em um país como os Estados Unidos, em que 34% da população é obesa, essa criação é mais do que uma “ignorância”!
Abaixo, algumas dicas.
    
- Procure saber a longo prazo, todos os PERIGOS que você corre mantendo-se sedentário e comendo alimentos gordurosos.


- Saboreie os alimentos, ou seja, DEMORE para comê-los! Se preciso for, marque o tempo que leva em cada refeição e tente cada vez mais, aumentá-lo.

- Se você sentir vontade de repetir um prato de comida, beba um copo de água e espere cerca de 4 a 5 minutos.

- Troque as grandes refeições, por pequenas refeições de 3 em 3 horas.

- Prefira comer em pratos de sobremesa ou pratos rasos.

- Tenha sempre um plano A, um B e um C. Assim, se o seu plano principal não lhe causar o resultado esperado, você terá outras saídas.

- Tenha metas desafiadoras e possíveis. Se necessário, divida-as em partes. Não inicie um processo imaginando eliminar 100 quilos... comece com 10 (meta a curto prazo) até chegar no seu desejado 100 quilos (meta a longo prazo).
- Comemore (não com comida) todos os seus sucessos!

- Se a sua mãe, tia, ou alguém da família, alguma vez lhe disse que deixar comida no prato é “pecado”, lembre-se que deixando ou não comida no prato, milhares de pessoas, infelizmente continuarão morrendo de fome... e que PECADO é colocar “para dentro do nosso corpo” uma alimentação, quando já estamos satisfeitos! (Essa é uma crença muito poderosa... tomem cuidado com ela).

- Vista-se bem, arrume seu cabelo, use maquiagem e acessórios. Quem disse que estar acima do peso tem que ser sinônimo de desleixo? Olhem essa mulher ao lado que linda!!! Ela está simplesmente MARAVILHOSA, mesmo sem ter o corpinho da Bündchen! (Paula Bastos, Jornalista - foto publicada na revista Gloss)

- E o principal: “Cuide do seu ESTADO EMOCIONAL”!

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

O BRINCAR

"Diversos estudos apoiam a convicção de Stuart Brown (Psiquiatra e fundador do Instituto Nacional da Brincadeira, em Carmel Valley, na Califórnia) de que crianças privadas de brincadeiras têm o desenvolvimento social, emocional e cognitivo prejudicado em algum grau."
"Psiquiatras e psicólogos se preocupam que tal limitação possa resultar em uma geração de adultos excessivamente ansiosos, infelizes e socialmente mal ajustados."

 Se pensarmos que o mal do século é o estresse e que na maioria das vezes, ele nos leva à depressão... o texto acima, faz total sentido, não faz?
Isso me leva a pensar em duas coisas:
    
- Primeira: Quanto tempo estamos permitindo que nossas crianças brinquem?

É muito óbvio que as brincadeiras hoje em dia, não sejam as mesmas de antigamente.
Isso se deve a violência, que obriga os pais a deixarem as crianças dentro de casa; a "evolução" dos tempos, que trouxe espaços residenciais menores; joguinhos no computador que "dispensam" a presença de um companheirinho para a interação; e principalmente, porque muitos pais já começam a preparar seus filhos para o mercado de trabalho... mesmo estes filhos estando ainda no jardim de infância.

Pode parecer absurdo para algumas pessoas, mas é muito natural para vários pais, que suas crianças com apenas 5 anos de idade, já tenham uma agenda com inúmeros compromissos. Segundo eles, estão apenas "pensando no melhor para seus filhos e no futuro, pois um dia, eles  terão que disputar um mercado de trabalho extremamente competitivo".
Tenho a acrescentar só uma parte final nesta frase... eles realmente enfrentarão um mercado de trabalho competitivo, mas isso somente ocorrerá, se eles sobreviverem...

Hoje em dia, vejo crianças com a agenda mais cheia do que a minha!! (e olha que isso não é fácil, rs). Elas têm hora para levantar, ir à escola, ir ao curso de idiomas, natação, balé, aulas de etiqueta, xadrez, curso de modelo, tem criança que vai até na manicure... (Meu Deus!), tem a hora do banho, da lição de casa, do jantar, e finalmente o horário de dormir... Elas foram praticamente transformadas em "mini-adultos", que praticam uma "série" de atividades por obrigação e não por prazer.

Claro que eles têm que ter atividades, horários, e regras... mas não podemos nos esquecer de que são "apenas crianças"!


Segundo ponto a se pensar: Nas mãos de quem estamos colocando a educação de nossos filhos? 

Se queremos que sejam futuros adultos carinhosos, compreensivos, e cheios de qualidades (nos nossos sonhos eles são sempre perfeitos) temos que dar esse exemplo para eles, certo?
Chega a ser cômico a mãe que fica horas conversando com o filho, dizendo que ele deve contar tudo o que faz para ela e para o "papai" e na hora que o marido chega em casa, ela pede para criança não contar algo que ela fez...
Quantas vezes nossas atitudes são exatamente o oposto do que falamos?
Vocês sinceramente acham que as crianças vão se basear no que falamos ou no que fazemos?

Muitos pais também acham que a função da "educação" é obrigação da escola e do professor... 
Pobres professores!!! Muitos nem quiseram ter filhos e vão ter que educar o filho alheio?
Sinto muito em decepcioná-los, mas o professor não ganha para isso, educação deve vir de "berço", ou seja, de casa, desde o momento que a criança nasce.
O professor vai apenas complementar o bom exemplo que já deve ter sido iniciado em casa...

Resumindo...
"Dar bons exemplos" e "brincar", ajudam no desenvolvimento intelectual, na criatividade, no desenvolvimento motor, na sociabilização, no desenvolvimento emocional e até a formar traços de personalidade nas nossas crianças.
 
E uma notícia muito boa! Segundo Mac Bekoff (Biólogo Evolucionário da Universidade do Colorado - Boulder - USA) estabelecer um espaço em nossa agenda para praticar o "brincar" também nos ajuda com o nosso desenvolvimento cerebral e psíquico (na saúde mental e física) reduzindo efeito do estresse e riscos de adoecimento.

Surpreenda seus colegas de trabalho, de curso, de escola, sua família, o mundo, com um convite para passar uma tarde brincando.

Mudar hábitos, pode ser mais interessante do que você imagina.

UM FELIZ DIA DAS CRIANÇAS PARA TODOS!!


sexta-feira, 7 de outubro de 2011

EMAGRECIMENTO


Já faz algum tempo que quero falar sobre esse assunto, que além de importante é interesse de 9 pessoas, em cada 10 que converso: Emagrecimento.

 Vou tentar citar de maneira resumida, alguns pontos que já discuti com alguns clientes, que não entendiam porque não emagreciam, e que realmente gostaria que vocês levassem em consideração. 

 Se todos nós sabemos que:
  - “A diminuição na quantidade de alimentos + Refeições de 3h em 3h + Comidinha Saudável (e todos nós sabemos o que é saudável e o que não é) + Exercícios Físicos + A troca de alimentos fritos por assados”, além de fazerem bem a saúde, fazem com que “iniciemos” o processo de eliminação daqueles quilinhos desagradáveis... então, por que alguns conseguem fazer essa fórmula funcionar, e outros não?

 Recortei esta parte abaixo em itálico, de uma matéria que saiu na revista Mente e Cérebro de julho de 2011, com título “O PESO DA PERSONALIDADE NO SUCESSO DA DIETA”, que fala sobre fatores emocionais e fatores da personalidade, auxiliando ou prejudicando em uma dieta. 

“Obviamente a personalidade não age sozinha, é mais um moderador da motivação pessoal e das atitudes em relação ao que se come, a quanto se ingere e à quantidade de exercícios”.
Devido a isto, o acompanhamento psicológico pode ser um diferencial importante quando há o objetivo de eliminar peso e mais ainda quando já houver tentativas fracassadas de obter esse resultado”.
Conhecer as formas como nos defendemos do que nos incomoda, bem como nossos medos e desejos, muitas vezes pode ser tão útil, quanto controlar as calorias de cada alimento ingerido.” 
Pessoas que costumam se sentir injustiçadas (por razões concretas ou não) podem comer em excesso como uma maneira inconsciente de autocompensação.” 


Alguma vez você já pensou em comer “um docinho” depois de uma manhã difícil com seu chefe ou com alguém do seu serviço? Ou só um “pedacinho de picanha” depois de ter passado pelo início da “3ª Guerra Mundial” com seus filhos ou com seu marido/esposa? Ou pensou em comer uma feijoadinha LIGHT (claroooo) depois de se chatear por algum motivo? Ou a melhor de todas... “Você já falou: Final de semana... PODE!!”

Pois é... tenho 2 notícias para você... Uma boa e outra nem tanto. A notícia  triste, é que motivos para nos chatear, não vão deixar de existir. Compensá-los através da comida, é UMA das escolhas (ERRADAS) que você pode fazer! Será que vale a pena esta escolha, que representa um prazer momentâneo, mas que vai lhe causar um sofrimento duradouro que vai se estender ao longo do tempo? Quero deixar claro, que não estamos falando apenas de estética, estamos falando principalmente de "saúde".


A compensação através da comida é mais comum do que as pessoas imaginam, e a notícia boa, é que a partir do momento em que percebemos que fazemos isso, torna-se muito mais fácil o controle. Claro que contar com a ajuda de um profissional que fortaleça a auto-estima e ajude a verificar os pontos obscuros, é um diferencial que conta e muito, pois embora a maioria das pessoas ainda achem ou "prefiram achar" que somente os fatores genéticos e a "falta de sorte" nos fazem engordar; os fatores emocionais podem ser  os grandes vilões nesta história. 

Se você está tentando uma dieta, então avalie se você realmente nota tudo o que come. Por incrível que possa parecer, várias pessoas comem as coisas sem perceber que estão comendo. Tive um exemplo destes em minha família, e pude acompanhar muito perto todo o processo. A dica que  dou, é para anotar tudo o que você come, inclusive aquelas balinhas "indefesas". De repente você pode descobrir que come um pouquinho mais do que imagina, ahh, aproveita e faça as contas da quantidade de calorias  que você está ingerindo, você pode ter uma surpresa no final. 

Mais um ponto a se pensar é que remédios milagrosos DEFINITIVAMENTE NÃO existem... e REMÉDIO deve ser prescrito por um MÉDICO não pelo seu colega de trabalho, amigo, ou porteiro do prédio... É a sua saúde que está em jogo e ela merece no MÍNIMO, SUA ATENÇÃO! Quantas vezes você já presenciou uma pessoa tomar remédio, realmente emagrecer, mas depois engordar o dobro? Se a gente JÁ sabe que isso acontece, então por que faz?

Outro ponto que avalio com meus clientes é que emagrecimento, assim como a compra de um apartamento, ou a visita a um lugar desconhecido, merece um planejamento. Quando você vai a algum lugar desconhecido, você pega o primeiro ônibus, metro, entra no carro e pega a primeira rua a sua frente ou você se planeja para chegar a esse lugar? Você compra um apartamento, um carro da noite para o dia? Então por que pensa em emagrecer do dia para noite e sem planejar os passos que vai ter que dar?

 Uma última observação e essa direcionada para as pessoas que falam mas não agem... Ouço muitas pessoas me dizendo "tenho inveja de você ou queria ser magrinha como você"... Só que NENHUMA destas pessoas comem o que eu como. Ninguém observa meu prato de salada, os legumes, a quantidade e muito menos a qualidade das minhas refeições...
 A grama do vizinho é tão mais verde não é?? Talvez seja a hora de pensar no que o vizinho faz para deixá-la assim...

Ninguém é magro por vontade divina. Observe qual a importância você tem dado para o que entra em seu prato e como anda seu estado emocional. Lembre-se: SAÚDE física e mental  em primeiro lugar, pois o resultado será apenas a conseqüência de suas escolhas.